Tema Surpreende educadores e candidatos na redação do Enem 2017

Fonte: http://www.horadoenem.org

A redação é, sem dúvida, uma das etapas mais temidas pelos candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na edição 2017, o tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” surpreendeu professores e candidatos.

É uma abordagem muito específica, que não está totalmente inserida no dia a dia das pessoas. É um tema bastante profundo para os alunos discutirem, levando em conta a idade deles. Entretanto, isso não impede que o candidato tenha bastante argumento e possa fazer uma boa redação.

“Apesar de muito ter se falado sobre inclusão, mas principalmente dos portadores de necessidades especiais de uma maneira ampla. Não é um tema tranquilo de ser escrito, o aluno vai ter que se dedicar para poder encontrar os argumentos.

O candidato terá que ter uma visão mais completa, mais empática, de se colocar no lugar do outro que precisa de ajuda.

Acredito que os professores falaram sobre essas questões em sala de aula de uma maneira geral, sobre as deficiências. Esse tema exigi que o candidato lembre com atenção e calma nos textos oferecidos em sala de aula para ajudar a subsidiar a redação. Se não ele corre o risco de abordar o tema tangencialmente, de falar sobre educação, sobre minorias, e esquecer de pontuar a questão da educação para os surdos. Essa é a única dificuldade.

O tema da redação deste ano segue a tendência das últimas edições do Enem, que costuma abordar temas sociais. No ano passado, o tema foi Caminhos para Combater a Intolerância Religiosa no Brasil.

No primeiro dia de prova do exame, os candidatos tiveram provas de linguagens e ciências humanas. Os candidatos tinham cinco horas e 30 minutos para concluir a prova. O exame começou a ser aplicado às 13h30, no horário de Brasília, para cerca de 6,7 milhões de candidatos em todo o país.

 

Avaliação

A estrutura da redação do Enem foi dissertativo-argumentativo e o candidato teve que apresentar uma proposta de solução para o problema proposto, a chamada intervenção. Os candidatos tiveram que apresentar uma referência textual sobre o tema.

As redações com sete linhas ou menos serão anuladas, bem como os candidatos que fugirem totalmente ao tema proposto e os que escreverem impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação.

Os textos serão avaliados de acordo com domínio da norma-padrão da língua escrita, compreensão da proposta da redação e aplicação de conceitos de diversas áreas do conhecimento para desenvolver o tema; capacidade de selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações para defender um ponto de vista; conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação e elaboração de proposta de intervenção ao problema abordado.

 

Curiosidades

Confira todos os temas de redação da história do Enem

1998: Viver e aprender

1999: Cidadania e participação social

2000: Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional

2001: Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar os interesses em conflito?

2002: O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais que o Brasil necessita?

2003: A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo

2004: Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação

2005: O trabalho infantil na sociedade brasileira

2006: O poder de transformação da leitura

2007: O desafio de se conviver com as diferenças

2008: Como preservar a floresta Amazônica: suspender imediatamente o desmatamento; dar incentivo financeiros a proprietários que deixarem de desmatar; ou aumentar a fiscalização e aplicar multas a quem desmatar

2009: O indivíduo frente à ética nacional

2010: O trabalho na construção da dignidade humana

2011: Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado

2012: Movimento imigratório para o Brasil no século 21

2013: Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil

2014: Publicidade infantil em questão no Brasil

2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira

2016: Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil / Caminhos para combater o racismo no Brasil (edição com duas aplicações do teste).

 

Autora: Gizele Paiva Sampaio

Diretora, Coordenadora Pedagógica, Proprietária de Escola de Educação Infantil por mais de 10 anos e Professora Universitária.

Trabalha com o desenvolvimento de projetos na educação infantil relacionados a Contação de História, Artes e Ciências.

Tem por atribuições dar orientação  pedagógica ao pais e professoras.

 

 

Aulas Particulares de Calculo, Física e Matemática”

(11) 97226-5689  Cel/WhatsApp

(11) 2243-7160  Fixo

email: fabio.ayreon@gmail.com

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *